Arrumando a mala

Antes de começar a pensar no que colocar dentro da mala, vem a questão de quantas malas e quais têm o melhor formato para levar, levando em consideração que você ficará um tempo considerável fora. Em viagens para o exterior, você tem direito de levar 2 malas de 32kg + 1 mala de mão e uma mochila. Porém é bom deixar um espaço vazio, pois provavelmente você terá mais coisas para trazer na volta.

É sempre bom levar também malas de cores chamativas, pois dizem que isso reduz as chances de extravio. No caso da mala de mão, o ideal é já levar uma que seja dos padrões de medida de companhias low cost (leia sobre isso aqui), para que possa ser utilizada nas suas futuras viagens.

Agora partindo pra arrumação das malas em si. Quando esse processo começa, é comum aparecerem várias dúvidas como: “O que deixar de levar para comprar lá?”, “O que não posso esquecer?”, “O que pode ser peso extra inutilmente?”, entre outras… Por esse motivo resolvi colocar aqui meu parecer sobre tudo isso. Espero que ajude e que evite de você cometer os mesmos erros que cometi.

  • Eletrônicos: Vale a pena deixar para comprar lá coisas com celulares ou notebooks? Não. Diferente dos Estados Unidos, o preço dos eletrônicos na Europa acaba sendo bem similar aos do Brasil. Hoje em dia como os celulares aqui são desbloqueados, não se preocupe que você vai conseguir usar o mesmo aparelho daqui, lá, sem o menor problema. Se já possui aqui, leve. A única questão é que se o seu notebook for de um modelo recente, provavelmente ele vem com uma tomada de 3 pinos. Lembre só de levar um benjamin adaptador, pois lá as tomadas são de 2 pinos.
  • Atenção sobre a voltagem: Lá é 220v e aqui 110v. Ou seja, se tem algo que não seja bivolt, deixe aqui. Principalmente mulheres: prestem atenção em secadores, chapinhas ou qualquer coisa do gênero.

 

  • O que vale a pena levar daqui:
  • Short (mulheres) Não sei se existe alguma peça similar no guarda-roupa masculino, porém, para mulher é bem difícil encontrar shorts em lojas europeias que sirvam. Isso porque lá existe uma moda de usar o short aparecendo a “dobrinha” da bunda, o que raramente agrada às brasileiras.
  • Biquíni. Sim, é verdade o que todo mundo fala sobre os biquínis brasileiros terem a modelagem diferente de qualquer outro encontrado no mundo.
  • Sandália Havaianas. Você pode até achar uma sandália similar ou a própria Havaianas à venda lá, mas além do preço com certeza ser muito superior, não há nada que te faça sentir mais brasileiro do que vestir a sandália.
  • Comidas tipicamente brasileiras. Vou contar um caso que me ocorreu. Sou viciada em jujuba, e nunca soube que era um produto que só vendia aqui. Só consegui encontrá-la em uma vendinha no Marrocos, com o escrito “made in Brazil” na embalagem. Nunca um saquinho de jujuba me fez tão feliz. Se tem algo que goste muito, que você suspeite que só vende aqui, faça um pequeno estoque e leve. Depois de muito tempo longe, essas pequenas coisas passam a ter gostinho de casa. Uma coisa legal também é levar comidas que os europeus não conhecem para dar de presente. Soube de um português que ficou fascinado por paçoca, por exemplo. Levar um pouco do seu país para mostrar a futuros amigos gringos é bacana.
  • Balas. Nunca entendi bem o porquê, mas as balas e chicletes na Europa tem um preço muito superior aos daqui. Se não consegue viver em um chicletinho, passe em um depósito e leve bastante, você não vai se arrepender.
  • Shampoo e Condicionador de marcas específicas. Esse quesito não é regra. Isso porque tem pessoas que não ligam de trocar de marca e achar outra que se adeque ao seu cabelo. No meu caso, sou meio apegada e fiquei na dúvida se encontraria os mesmos por lá. Levei os que uso daqui e não me arrependi. Sim, vendia a marca Pantene lá também, mas não o tipo que eu gostava. Se também tem esse problema de apego, pelo sim ou pelo não, leve.
  • Um tênis bom e confortável.Você até consegue achar tênis com um bom preço para vender lá. Mas pelo menos nas lojas que eu tinha o hábito de comprar, não necessariamente os de melhor preço tinha como característica o conforto. Se também pretende viajar no estilo mochilão, você vai precisar de um tênis confortável, pra poder andar bastante e não ter dores no pé como consequência. Caso tenha a oportunidade de já levar um que goste e tenha o hábito de usar, ótimo.
  • Remédios. É sempre bom levar remédios que você usa com mais frequência daqui. Isso porque muitas vezes o remédio que você compra sem receita em farmácias aqui no Brasil, lá fora precisa de receita. Além disso, uma amiga próxima não teve de um médico italiano a receita para um remédio que sempre tomava, por ele considerar muito forte e não indicar o seu uso. Para evitar situações parecidas, é valido fazer uma mini farmácia pessoal para deixar na sua casa.

 

  • O que não vale a pena? 
  • Roupas de frio e roupas térmicas. Se tiver como pegar emprestado, ou já tiver alguma, leve. Mas nem cogite em comprar roupas do gênero aqui no Brasil. Além de ser muito mais caro aqui, a qualidade das que vendem lá é muito superior e mais adequadas às temperaturas do frio europeu.
  • Sapatos de salto. Na Europa as pessoas se arrumam menos do que no Brasil em noitadas. Elas vão mais arrumadas do que se fossem sair de dia, porém sapato de salto não é nenhum pouco necessário. Levei um por precaução daqui e voltou intacto. Todas as vezes que sai à noite, usei sapatilha. Acho uma boa ideia levar um, por via das dúvidas, mas não levaria mais que isso. A não ser, claro, que você goste muito de usar salto. No caso específico do Porto, ainda existia outra questão: o número elevadíssimo de ladeiras pela cidade.
  • Sapatos que não resistem à chuva (caso você também vá morar no Porto, Portugal). O Porto é uma cidade muito úmida, e as chuvas são muito frequentes e aparecem de forma inesperada durante o dia. Na época que fui, levei vários sapatos que perdem a durabilidade ao serem molhados (como sapato com pelo ou de camurça) e voltei ao Brasil sem nunca tê-los usado.
  • Roupas que não tem o hábito de usar no Brasil. Quando estava fazendo minha mala, separei várias roupas que pensei.. “Bem, não uso tanto aqui.. mas vai que lá eu resolvo usar” ou então “Vai que eu me arrependo de não levar?”. Adivinha quais foram as roupas que nunca usei? Pois é. Como comprar roupa lá é mais barato que aqui, você já deve voltar com a sua mala mais cheia do que veio, então, não existe lógica em usar esse espaço desnecessariamente, acredite.

 

Minha experiência. O que achei que levei a mais e o que acabei levando a menos. Vou contar aqui minha experiência. Alguns casos já citei acima, mas quis resumir tudo para facilitar:

  • Levei a mais: Roupas e sapatos. Também levei livros pesados e revistas e acabei não lendo todos. Levar algum ou alguns que está a fim de ler, acho bacana, mas no meu caso, levei em excesso e acabei com um peso extra na mala, na ida e na volta.
  • Levei a menos: Faço faculdade de design e as vezes preciso usar para fazer trabalhos materiais artísticos. Na época como todos me falaram que na Europa esse tipo de material é mais barato, pensei: ótimo, vou deixa os meus aqui e compro tudo lá. Foi a pior besteira que fiz. De fato, esses materiais saem mais em conta lá, porém não é por isso que precisaria comprar tudo. Algumas coisas foram legais de ter novos, outras, poderia ter continuado com as antigas. Também esqueci uma necessaire com todos os meus produtos de maquiagem no Brasil.

Agora, uma coisa que é muito pessoal mas que no meu caso, amei ter levado foram fotos e objetos de decoração pro meu quarto. Me sentia bem deixando por perto fotos de pessoas que tinha saudade e objetos que estava acostumada a ver no meu quarto, no Brasil. Também gostei de ter levado minha roupa de cama daqui.

2 comentários

  1. Como funciona o esquema das farmácias no Porto? Realmente não vendem nada sem receita? Se eu levar alguns remédios daqui tem que ter receita de tudo?

    1. Remédios comuns, tipo novalgina etc.. dá pra comprar sem receita sim. Remédios mais específicos que é bem mais complicado.. O caso que eu cito no post é de uma amiga minha teve bastante dificuldade para comprar pomada Aciclovir (que aqui no Brasil é vendida sem receita). Mas os que for levar não precisa da receita não.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s